Alckmin critica diminuição dos repasses federais ao SUS

O candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, Geraldo Alckmin, criticou a diminuição dos repasses federais ao Sistema Único de Saúde (SUS) e se mostrou contra a criação do novo imposto para o setor: "não adianta você criar um novo imposto. Você põe aquele dinheiro para a saúde, mas tira o dinheiro dos outros e fica do mesmo tamanho o problema". A afirmação foi feita na tarde desta quarta-feira (22), durante visita a um evento voltado para a saúde no Expo Center Norte, zona norte da capital.

"Até 2003, a participação do financiamento do SUS, que é dos três níveis de governo (federal, estadual e municipal) era 51% federal e 49% de Estados e municípios. Hoje, o financiamento da União reduziu para 41%. No caso do Estado de São Paulo, é de 32%, menor ainda", afirmou o tucano.

O candidato também declarou que São Paulo está com o valor de financiamento do SUS limitado e defendeu ainda que o Estado poderia contribuir para o repasse de verbas. "Primeiro, porque a tabela é baixíssima, as Santas Casas quebram. Segundo, porque a tabela não é corrigida, você vai aumentando os custos, sem aumentar a tabela. E terceiro, porque no caso de São Paulo, esse pagamento é baixo", disse.

Durante a visita, o tucano também pediu votos para o presidenciável de sua chapa, José Serra, e exaltou as realizações do PSDB na área da saúde.