Candidatos prometem não aumentar ou criar impostos em Santa Catarina

Três dos candidatos ao governo de Santa Catarina se comprometeram nesta sexta-feira (17) a não criar ou reajustar alíquotas de nenhum imposto estadual caso sejam eleitos em outubro próximo.

Raimundo Colombo (DEM), Angela Amin (PP) e Ideli Salvatti (PT), os melhores colocados nas pesquisas eleitorais, participaram de debate realizado na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). Eles assinaram um documento com o presidente da entidade, Alcantaro Correa, garantindo a não onerarão de tributos do setor produtivo. "Está tudo filmado e fotografado", disse o presidente da Fiesc.

O debate não contou com perguntas de candidatos para candidatos, o que acabou inibindo maiores provocações. Os três falaram sobre os planos de governo e responderam perguntas formuladas pelos industriais. Mesmo assim, o governo federal chegou a ser criticado em alguns pontos pelo democrata Colombo, que lidera as pesquisas no Estado. Para ele, a distribuição de recursos e construção de obras de infra-estrutura não estaria levando em conta o desempenho industrial de Santa Catarina.

"Governantes têm que ter critérios. Se ele não tiver acaba se perdendo. Estou pronto para ajudar e dar segurança ao setor produtivo de Santa Catarina", disse. "Espero que Serra seja eleito, mas se não for, não podemos ficar com essas mesquinharias e disputas sobre quem fez ou quem trouxe. No meu governo será a hora da união".

Críticas às secretarias regionais
Angela Amin, do PP, falou sobre alguns projetos na área de educação e saúde e foi enfática ao criticar as secretarias de desenvolvimento regional criadas pelo ex-governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). "A questão de descentralização começou há muitos anos, com Celso Ramos e a criação de empresas estataias. Do jeito que está não funciona como se deveria", disse. "As 37 estruturas montadas centralizam o trabalho ao invés de fazer o contrário. Não vem sendo eficiente.

Corte de ICMS de protetor solar
A petista Ideli, em seus pronunciamentos, fez questão de ressaltar que seu vice, Guido Bretzke, é um industrial "de sucesso". "Queremos repetir em Santa Catarina a fórmula que deu certo com Lula e José Alencar", afirmou. A candidata prometeu reduzir impostos, entre eles, o ICMS de produtos que formam a cesta básica, materiais de higiene bucal e até mesmo de filtro solar. "Somos o Estado com maior incidência de câncer de pelo do país e cobramos imposto no protetor, que na verdade deveria ser um medicamento".