Para Marta, acusar PT de usar máquina pública é "descabido"

Fernanda Frozza, Portal Terra

GUARULHOS - Durante caminhada no centro de Guarulhos, a candidata do PT ao Senado de São Paulo, Marta Suplicy afirmou que é "descabido" os tucanos acusarem o PT de usar máquina pública para fazer campanha. "Se o PSDB tivesse competência de colocar gente para fazer comício e quisessem ouvi-los, tenho certeza de que o prefeito tomaria as mesmas providências", garantiu. A declaração foi feita na tarde desta quarta-feira (15), quando a petista comentou a acusação do presidente do PSDB local e candidato a deputado federal, Carlos Roberto, sobre o uso de servidores públicos para receber a presidenciável Dilma Rousseff, na cidade no dia 4 de setembro.

No palanque, Marta disse que está "muito contente" com o sucesso do bilhete único em São Paulo e comemorou a inauguração do sistema em Guarulhos, que acontecerá em dezembro deste ano. "Vai fazer uma enorme diferença. Em Guarulhos foi feito assim, mas em lugares como a Baixada Santista, por exemplo, balsas, barcas, trens, tudo poderia ter bilhete único". A candidata ainda relembrou a Copa de 2014 e a Olimpíadas no Brasil e defendeu um "transporte muito mais integrado" para atender a população.

Com uma garrafa de água na mão e tossindo com frequência, a petista se desculpou com os eleitores por ser breve ao falar sobre suas propostas: "vou ter que falar pouco porque candidato que faz comício, vocês sabem como é, a voz vai sumindo". Para ajudá-la, o candidato a deputado federal José Genoíno (PT) pegou o microfone e pediu votos para a petista e para o candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante: "time que está ganhando não se mexe. No time de Lula e Dilma não pode mexer, mas São Paulo tem que mexer. Tem que colocar Mercadante e Marta", enfatizou.

Além de Genoíno, Marta cumprimentou eleitores, tirou fotos, visitou o comércio local e o Terminal Turístico Rodoviário de Guarulhos, acompanhada do prefeito da cidade, Sebastião Almeida (PT), do candidato a deputado estadual, Alencar Santana (PT) e da candidata a deputada federal, Janete Pietá (PT).