Líder nas pesquisas, Agnelo vira alvo em debate no Distrito Federal

Claudia Andrade, Portal Terra

BRASÍLIA - A subida do petista Agnelo Queiroz nas pesquisas de intenção de voto para o governo do Distrito Federal tornou o candidato o alvo dos ataques no debate promovido pelos Diários Associados nesta terça-feira (14), em Brasília.

De acordo com pesquisa Ibope divulgada ontem, o petista conta com 43% da preferência do eleitorado, enquanto Joaquim Roriz (PSC) soma 30% das intenções de voto.

No bloco em que os candidatos podiam fazer perguntas uns para os outros, Roriz aproveitou uma pergunta para Toninho do PSol para atacar o líder das pesquisas: "O senhor (Toninho) vem afirmando que o candidato do PT está cercado de traidores. Poderia explicar melhor o seu entendimento?"

Foi a deixa para o candidato do PSol voltar a criticar as alianças feitas pelo PT. "Ele fez efetivamente uma aliança que não é da tradição do PT. Aliar-se com setores do PMDB que têm ficha suja, eu acho estranha essa aliança. E espero sinceramente q o nosso eleitorado faça uma escolha correta. Não dá pra manter esse saco de gatos".

Na réplica, Roriz "parabenizou" o adversário pela "precisão" nas respostas. E acrescentou que "pessoas que estão hoje com o PT e participaram do meu governo não eram traidoras naquela época. Se foram para o outro lado é pelo oportunismo".

Agnelo pediu direito de resposta e disse achar "estranha" a combinação entre seus adversários contra ele. "Primeiro o candidato impugnado faz um ataque quando faz uma pergunta. O candidato Toninho responde e é muito elogiado pelo candidato impugnado", destacou. "Minha aliança vai salvar Brasília desse caos moral que está aí", completou.

O candidato petista também foi questionado durante o debate sobre seu envolvimento em denúncias de desvio de recursos quando estava à frente do Ministério dos Esportes. Agnelo defendeu-se das denúncias, dizendo que "sempre foi considerado ficha limpa" e ressaltando que sua candidatura foi aprovada, assim como suas contas.

"Não existe uma investigação, um indiciamento contra a minha pessoa. Sou ficha limpa. No caso de envolvimento de qualquer entidade (nas denúncias), a entidade deve responder. Tentaram fazer uma ligação com a minha pessoa, que não foi confirmada".

"O Distrito Federal passa por uma crise ética, moral, política de alta gravidade. Quem ama essa cidade tem a obrigação de tirar a capital do Brasil dessa situação de vergonha nacional", concluiu Agnelo.