Tabelião reafirma falsidade do requerimento da filha de Serra

Portal Terra

BRASÍLIA - Nesta segunda-feira (13), Fábio Tadeu Bisognin, tabelião do 16° Cartório de Notas de São Paulo, prestou depoimento na Delegacia Seccional de Santo André. Ele foi ouvido a respeito do falso requerimento que foi levado à Receita Federal por Antônio Carlos Atella Ferreira e foi usado para acessar o sigilo fiscal de Verônica Serra, filha do candidato tucano à presidência José Serra.

Bisognin repetiu aquilo que já havia dito à Polícia Federal quando o caso veio à tona, que Verônica nunca teve firma registrada naquele cartório e que o carimbo utilizado para validar o requerimento era falsificado.

O tabelião chegou a chamar a falsificação de "grosseira". Aos repórteres presentes no local, ele explicou que uma simples perícia consegue detectar a falsificação, mas que, por terem de lidar com inúmeros documentos todos os dias, os técnicos da Receita podem não ter percebido a diferença.

Também compareceu à delegacia de Santo André nesta terça o aposentado Edson Pedro dos Santos. Na semana passada, ele foi procurado por José Carlos Cano Larios, marido da servidora da Receita Ana Maria Caroto Cano, uma das investigadas pela violação de sigilos na unidade fiscal de Mauá. O objetivo da visita era que ele assinasse um documento para regularizar o acesso à sua declaração.

Santos afirmou que considera o contador que o procurou como vítima da situação. Ele contou ainda que o contador afirmou que precisava da assinatura porque alguém havia pedido dados fiscais dele para efetuar o imposto de renda neste ano.

O aposentado disse que não sabe a razão de seu sigilo fiscal ter sido acessado. Ele informou ainda que é filiado ao PPS e que foi candidato a vereador em 2008, tendo recebido 93 votos. Edson Santos disse que prestará depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga o vazamento de dados nesta terça-feira (14), às 9h30.