Mulher Pêra dispersa caminhada de Marta e Mercadante em SP

Vagner Magalhães, Portal Terra

S O PAULO - A chegada da candidata a deputada federal Suelen Aline Mendes Silva (PTN-SP), a Mulher Pêra, a uma caminhada de campanha promovida pelo PT paulista, fez com que o evento, que já estava em seu final, terminasse mais cedo. Suelen se atrasou e chegou à praça Lourenço de Bellis, na Vila Sabrina, zona norte da capital, quando o candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, e candidata ao Senado, Marta Suplicy, terminavam uma entrevista coletiva. Ao perceberem a aproximação da candidata à Câmara dos Deputados, Marta e Mercadante saíram um para cada lado, para não serem filmados e fotografados ao lado dela.

Ao fim da entrevista coletiva, Marta cumprimentou o seu ex-marido, o senador Eduardo Suplicy (PT), e disse baixo ao seu ouvido. "Eu tô fora. A Mulher Pera é com você". Suplicy foi o único que recebeu a candidata do PTN. Conversou rapidamente com ela tirou algumas fotos ao seu lado.

No início da campanha, Suplicy chegou a receber críticas por ter gravado um depoimento para a candidata-fruta, que ganhou visibilidade no Youtube. Hoje, ela tentou gravar com Marta Suplicy, mas não foi atendida. Apressada, Marta deixou o local rapidamente, entrando em um carro que a aguardava.

Suellen ficou visivelmente constrangida com a negativa de Marta. "A receptividade das pessoas foi muito boa, só a Marta que não sei. Eu acho que tem um pouco de preconceito sim por eu ser uma fruta, mas isso aí tudo bem. Eu vou começar a mostrar para as pessoas o meu outro lado, que é a Suelen, não a Mulher Fruta. Quem está pedindo votos hoje é a Mulher Pera, mas se eu for eleita é a Suelen que assume", disse.

Suelen disse que pretende lutar por leis que garantam o primeiro emprego para os jovens e o endurecimento da Lei Maria da Penha, em caso de agressão de mulheres. "Quando um homem bate em uma mulher, ele tem de ser logo preso e não apenas pagar algumas cestas básicas". Porém, ela se negou a comentar o episódio envolvendo o candidato do PCdoB ao Senado, Netinho de Paula, que agrediu a mulher em 2005 e faz parte da coligação. "Isso eu prefiro não comentar".

Sem os candidatos da coligação, a Mulher Pera aproveitou para fazer uma caminhada pelas ruas do bairro e cumprimentar eleitores, notadamente homens e crianças.