Mercadante prevê máximo de 25 alunos por sala na alfabetização

Vagner Magalhães, Portal Terra

S O PAULO - O candidato do PT ao governo do Estado, Aloizio Mercadante, lançou nesta terça-feira (14) em Suzano, na Grande São Paulo, o caderno de Educação de seu plano de governo. Nele, está previsto que haverá um limite de 25 alunos por sala nas turmas de alfabetização e 35 nas demais. Além disso, o plano anuncia o fim da chamada "aprovação automática", a implantação de salas de computação em todas as escolas públicas, além da universalização da implantação do acesso à Internet por meio de banda larga na rede educacional do Estado.

Para o ensino superior está prevista a criação da Universidade Tecnológica de São Paulo, com atuação nas áreas de pesquisa, e extensão de cursos que demandam alta tecnologia. O plano também cita a reserva de vagas nas universidades e faculdades públicas e nas escolas técnicas estaduais para alunos oriundos das escolas públicas, negros e indígenas.

Também faz parte do programa assegurar que todos os professores da rede pública estadual recebam gratuitamente um computador portátil com conexão à Internet. Para os alunos da rede publica estadual, a disponibilização se daria de maneira progressiva. Custos para a implantação dos projetos não foram divulgados e viriam do próprio orçamento da Educação, que, de acordo com o candidato, gira em torno de R$ 30 bilhões ao ano.

Mercadante afirmou que a redução do número de alunos por sala de aula deve ocorrer durante o governo, dependendo da situação que será encontrada. "Não se consegue alfabetizar o conjunto da sala de aula se você tem muito aluno. A alfabetização é decisiva. Em 2006, quando o governador Alckmin terminou o governo, 30% dos alunos do primeiro ano do ensino fundamental terminavam o curso sem saber ler e escrever. Se ele não sabe ler e escrever, ele não vai aprender mais nada", afirmou.

Segundo o candidato, atualmente, 20% da classe fica encostada em um canto, sem nenhuma atenção. "A alfabetização e as primeiras contas são imprescindíveis. É o alicerce da educação. Se o aluno não conseguir ler e interpretar um texto, não tem mais nada para aprender na escola".

O candidato escolheu Suzano para lançar o plano de Educação porque na semana passada o presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugurou na cidade o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Mercadante iniciou uma carreata em frente à obra, que seguiu até o centro da cidade. Lá, discursou e apresentou para cerca de 600 pessoas as bases de seu projeto.

O plano completo será apresentado no próximo dia 23, em evento no Palácio do Trabalhador, na região central de São Paulo. Nesta quarta-feira (15) será lançado o caderno de segurança pública.