SC: Amin vira alvo de ataques de partidos "nanicos" em debate

Fabricio Escandiuzzu, Portal Terra

FLORIANÓPOLIS - A candidata Angela Amin (PP) foi o principal alvo dos candidatos ao governo do Estado pelos partidos considerados "nanicos" em debate realizado na noite de quarta-feira (8) no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Florianópolis.

Além de Amin, participaram do debate promovido pelo Centro Acadêmico do curso de Direito os candidatos Gilmar Salgado (PSTU), Rogério Novaes (PV), Valmir Martins (PSOL) e José Carmelito (PMN). Ideli Salvatti, do PT, e Raimundo Colombo, do DEM, não compareceram e alegaram incompatibilidade de agenda.

Líder nas pesquisas, a progressista foi alvo de várias provocações e chegou a se irritar muito com os adversários. O candidato Gilmar Salgado, acusou Amin de participar da ditadura, criar "elefantes brancos" quando administrou a prefeitura de Florianópolis e ainda defender agressões da Polícia Militar contra estudantes. O fato ocorreu em 2005 durante manifestações de jovens contra o reajuste da tarifa de ônibus.

"Tem candidata que criou o sistema de transporte desintegrado e apoiou quando a polícia do PMDB agrediu jovens estudantes (...) ela foge das perguntas e isso significa que vai reprimir se for eleita governadora. Isso é coisa da ditadura, apoiada pela família dela", afirmou.

As afirmações chegaram a causar manifestações de apoio junto à plateia e irritaram visivelmente Angela Amin. Ela disse não ter interferência sobre policiais militares no episódio que chegou a ser exibido em rede nacional de televisão. "Eu não era governadora e não tinha responsabilidade ou autoridade alguma sobre a PM. Não apoiaria de forma alguma aquele tipo de agressão".

Outro momento de tensão ocorreu quando o candidato do PMN, José Carmelito, perguntou qual seria o salário de um deputado federal. A pergunta mais uma vez deixou a candidata do PP irritada e fez com que ela falasse das dificuldades financeiras passadas por sua família. "Meu pai trabalhou muito para que os nove filhos conseguissem se formar", retrucou.

Ao final do debate, o candidato do PV, Rogério Novaes, causou mais um conflito e vários pedidos de direito de resposta ao atacar os sete adversários em um único pronunciamento de quarenta segundos. "Dos oito que disputam o governo, dois são aposentados, outros dois são servidores públicos e três deles são detentores de mandato. Todos têm regalias e benefícios como licença ou afastamento para se candidatarem. Ou seja, o único que é uma pessoa comum, que trabalha e acorda cedo sou eu", afirmou.