No rádio, programa de Serra diz que Brasil não é uma ditadura

Portal Terra

DA REDAÇ O - Durante o horário eleitoral gratuito veiculado no rádio na manhã desta quinta-feira (9), o programa do candidato à presidência pelo PSDB, José Serra, lembrou novamente o caso da quebra de sigilo fiscal da filha do tucano e afirmou que casos como este só acontecem em ditaduras.

"Isso é comum em ditaduras, em países que prendem e matam gente por divergência de opinião. Numa democracia, isso é crime. E essa é uma questão está acima de quem ganha ou quem perca uma eleição. O Brasil não é uma ditadura", afirmou o locutor.

"Alô meu amigo, alô minha amiga. É o programa do José Serra que vai governar já no primeiro dia sem precisar de guia nem de chefe", disse o apresentador na abertura do programa serrista. A inserção falou sobre a ampliação dos Ambulatórios Médicos de Especialidades, do Bolsa Família e sobre o combate ao tráfico de drogas. "Nós temos que combater a entrada de cocaína do Brasil. Nós temos que ocupar nossas fronteiras. Temos que combater os traficantes", afirmou Serra.

O programa de Dilma Rousseff começou alfinetando o adversário tucano. "E fique ligado porque aqui não tem baixaria nem agressão, só prestação de contas, ideias e propostas para o Brasil seguir mudando", disse o apresentador. A inserção falou ainda sobre a "Cracolândia", área no centro de São Paulo conhecida por abrigar usuários de drogas e criticou o PSDB. "Essa turma do bico grande está mandando lá em São Paulo há 16 anos, e não consegue acabar com isso?", questionou um locutor da campanha petista. "E ainda fica aí cheia de empáfia dizendo que vai resolver os problemas do País", afirmou.

A segurança pública foi o tema abordado pelo programa petista. A candidata prometeu ampliar o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, que articula ações entre o governo federal e os governos estaduais e municipais. "Aumentaremos os investimentos no tratamento e na recuperação dos dependentes de drogas, continuaremos a fortalecer a Polícia Federal e ampliaremos o controle das fronteiras. Para isso, compraremos mais dez aeronaves não tripuladas para rastrear as ações criminosas", prometeu Dilma.

Marina Silva, do Partido Verde, contou com uma mensagem de apoio do ator Marcos Palmeira e aproveitou seu espaço para criticar a discussão entre Serra e Dilma. "Eu quero dizer a vocês que estão tentando fazer dessa eleição um ringue. Onde as duas grandes forças que estão ai ficam brigando para se eternizar no poder. O pior é que são iguais, defendem um tipo de crescimento sem responsabilidade com seu futuro e com o futuro do planeta", disse Marina.