MP vai analisar se Lula cometeu excesso em ataque a Serra na TV

Laryssa Borges, Portal Terra

BRASÍLIA - A vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, confirmou que o Ministério Público Eleitoral irá analisar se o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ter se excedido e cometido crime ao defender, em propaganda na TV, a candidata petista à presidência da República, Dilma Rousseff, e ao mesmo tempo atacado o tucano José Serra, a quem atribuiu uma situação de "desespero" por estar atrás nas pesquisas de intenção de votos.

A representante do MP irá analisar, na peça publicitária exibida nesta terça (7), se a fala do presidente Lula pode ter extrapolado sua função e ser interpretada como uma espécie de pronunciamento oficial do chefe do Executivo federal.

Nesta quarta, questionada sobre a manifestação de Lula, seu principal cabo eleitoral, a petista afirmou que o discurso foi "institucional" e que o presidente "não baixou o nível". A ex-ministra da Casa Civil informou ainda que o presidente "falou por ele", e não em nome da coligação que dá suporte à sua candidatura.

"Ele é do meu partido. Ele falou ontem como líder do meu partido. Lula fez uma fala institucional muito clara e não baixou o nível em nenhum momento. Falar em baixaria eu falo também. Eu falo que o candidato adversário faz factóides, baixarias e falsidades. E eu não vou descer a isso", acrescentou Dilma nesta quarta.

Na TV, Lula criticou as recentes declarações do tucano José Serra contra Dilma e afirmou que o presidenciável está "em desespero". "Tentar atingir com mentiras e calúnias uma mulher da qualidade de Dilma Rousseff é praticar um crime contra o Brasil (...) Peço equilíbrio a esses que atingem a Dilma, movidos pelo desespero, pelo preconceito contra as mulheres e também contra o Brasil", disse Lula na TV em resposta a respeito das denúncias de violação de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB e ao candidato tucano.

"Infelizmente nosso adversário, candidato da turma do contra, que torce o nariz contra tudo o que o povo brasileiro conquistou nos últimos anos, resolveu partir para os ataques pessoais e para a baixaria (...). O povo brasileiro saberá perfeitamente separar o joio do trigo", completou o presidente no depoimento na TV.