Declaração de Lula defendendo Dilma é "irresponsável", diz Guerra

Marcela Rocha, JB Online

S O PAULO - O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, fez um pronunciamento no diretório municipal do PSDB em São Paulo, nesta quarta-feira (8), sobre a fala do presidente Lula na propaganda eleitoral da candidata à presidência do PT, Dilma Rousseff, na noite de terça-feira (7). O senador classificou o discurso como "panfletário, mentiroso e irresponsável" e disse que Lula assumiu a atitude de se achar superior a todas as instituições. "É inconcebível que um presidente da República tenha esse tipo de atitude... e dê esse tipo de exemplo", argumentou.

Guerra afirmou que o principal objetivo de Lula é eleger sua candidata e que o presidente certamente sabia das quebras de sigilo, que foram nitidamente políticas, segundo o senador. "É inconcebível que um presidente da República tenha esse tipo de atitude... e dê esse tipo de exemplo", argumentou. "Ele volta novamente ao ar para defender sua candidata cuja palavra e voz não lhe pertencem. (...) Ao invés de entrar no mérito da questão atacou a oposição", disse Guerra, e complementou: "as mãos que estão nesse episódio são as mesmas mãos que trouxeram o montante de dinheiro dos aloprados".

O senador citou a briga entre o ex-prefeito de Belo Horizonte e candidato ao Senado por Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e André Vargas, secretário de Comunicação do PT, para fundamentar a sua tese de que essas quebras de sigilo estão relacionadas ao PT e que eram para afetar essa eleição. Acusou Lula de não só desejar vitória, mas a hegemonia, além de acusar o presidente de ameaçar senadores para acabar com a oposição. "Ela (Dilma) tem a proteção irresponsável de Luiz Inácio Lula da Silva. Ele pode ter a popularidade que for, mas deve ser presidente de todos os brasileiros, tem que respeitar a lei", disse Guerra.