Roriz recorre ao STF para manter candidatura

Agência Brasil

BRASÍLIA - O candidato ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) questiona no Supremo Tribunal Federal (STF) a decisão da Justiça Eleitoral que proibiu sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. Roriz pede o deferimento do registro de sua candidatura ou então um novo julgamento de seu recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sem a aplicação da Ficha Limpa, que proíbe a candidatura de políticos com condenações por órgãos colegiados.

Roriz alega que é preciso respeitar o princípio da anualidade na aplicação da lei. A Constituição determina que leis eleitorais só entrem em vigor um ano depois de sua aprovação. Mas há o entendimento de que o Ficha Limpa não alterou a legislação, apenas criou um requisito para as candidaturas.

O pedido de registro da candidatura de Roriz, que faz parte da coligação Esperança Renovada, recebeu três pedidos de impugnação, entre eles, um do P-SOL. O partido alegou que Roriz não poderia se candidatar ao governo do Distrito Federal porque, em 2007, renunciou ao mandato de senador para fugir de processo de cassação, o que é proibido pela Lei da Ficha Limpa. Ele foi acusado de envolvimento em esquema de corrupção e pagamento de propina.

Roriz chegou a recorrer ao TSE, mas teve o recurso negado.