Prefeito infiel do PMDB se diz ameaçado por tio de Geddel

Claudio Leal, Portal Terra

BAHIA - Briga rural na sucessão baiana. O prefeito de São Gonçalo dos Campos, Antonio Dessa Cardozo do PMDB, conhecido como "Furão", registrou queixa, na 1ª Coordenadoria de Polícia de Feira de Santana, contra um grupo que invadiu seu sítio e ameaçou sua família. À frente dos meganhas, afirma Furão, estava um homem que se identificou como Fernando Vieira Lima, tio do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

O prefeito são-gonçalense se filiou ao PMDB, em 2007, a pedido do governador eleito Jaques Wagner (PT), após a derrota do grupo de Antonio Carlos Magalhães no Estado. Na época, Wagner e Geddel eram aliados e trocavam declarações fraternas. Nada semelhante à inimizade de ambos na campanha baiana de 2010. Furão decidiu apoiar o petista, atitude que fere uma resolução do PMDB, cujo candidato é Geddel.

Agora, o relato do prefeito ao delegado da Polícia Civil, Fábio Lordelo. Na hora do almoço, Furão se reunia com a família na varanda, à espera dos pratos. Ouviu um barulho no portão do quintal. A voz masculina chamava uma das empregadas e interpelava a babá: "Lembra que, no mês passado, eu estive aqui e entreguei uma caixa de propaganda de Geddel Vieira Lima?".

"Na segunda vez, ele perguntou com tom mais arrogante", diz o líder municipal. Um dos quatro homens estaria filmando a invasão. "Parem, estou em minha casa!", gritou. "Tentou me agredir com um murro e fez menção de puxar uma arma. Não vi se estava armado. Continuamos a discussão". Placas de candidatos, fincadas no sítio, foram inspecionadas. Havia propaganda da deputada federal Tonha Magalhães (PR), da base de Geddel.

Furão começou a furar a barreira de ombros, para expulsar os cabos eleitorais peemedebistas. "Não precisa disso! Porque se Lúcio (presidente do PMDB) e Geddel souberem...", insinuaram. O prefeito gritou: "Que Lúcio e Geddel vão tomar no meio do rabo!". Segundo Furão, Fernando Vieira Lima revidou: "Geddel e Lúcio vão saber disso e vão foder com você, prefeito!". Saíram numa camionete Mitsubishi branca.

Sem mais, a versão de Lúcio Vieira Lima - presidente do PMDB da Bahia, irmão de Geddel e sobrinho de Fernando. O prefeito de São Gonçalo dos Campos enviou sete faxes cobrando propagandas do candidato ao governo, Geddel (sim, Furão apoia Wagner). Na manhã desta terça-feira, 31, enviou o oitavo fax e um e-mail.

"Tenho tudo documentado. Ele pediu o envio. O que fazer? Hoje, saiu um carro pra entregar propaganda em diversos municípios. Não teve nada", relata Lúcio ao Terra, depois de conversar com o tio. Segundo os estafetas, o prefeito clamou por mais santinhos de Geddel: "Traz mais uns 30 mil!".

Geddel havia denunciado irregularidades de Furão antes da entrada do são-gonçalense ao PMDB. Optaram pelas pazes com a ajuda de Jaques Wagner. "Estou no meio de uma briga de gigantes e eu sou um pequeninho da política. Tenho que agir dentro da lei pra me proteger", diz o alcaide.

Peemedebistas avaliam, nos bastidores, que o prefeito deseja se precaver contra um eventual processo de expulsão. "É expressamernte vedado o apoio, ainda que indireto, a candidato nas eleições de 2010 que não seja integrante dos seguintes partidos coligados: PMDB, PR, PSC, PTB, PPS, PMN, PRB, PRTB, PSDC, PTC, PTdoB e PTN", diz a resolução partidária, alcunhada de "AI-15" pelos adversários petistas, em referência ao número da legenda.

"Estou indignado com isso", desabafa Lúcio. "Ainda hoje ele enviou um e-mail, às 10h52, dirigido a mim e Geddel". Íntegra da mensagem:

"São Gonçalo dos Campos/BA, 31 de agosto de 2010.

A SUA SENHORIA O SENHOR

DR. LÚCIO VIEIRA LIMA

M.D. PRESIDENTE ESTADUAL DO PMDB

Assunto: CONVITE

"Senhor Presidente,

Ao cumprimentá-lo cordialmente, venho por meio do presente, convidar Vossa Senhoria e o Sr. GEDDEL VIEIRA LIMA, Candidato a Governo deste Partido, para a 8ª CAVALGADA DO GRUPO NOVA ESPERANÇA, neste Municipio de São Gonçalo dos Campos, a realizar-se no dia 12 de setembro de 2010, com a seguinte programação:

Missa na Igreja Matriz: 10hs

Saída da Cavalgada