"Não se terceiriza comando", diz Serra sobre Lula e Dilma

Marcela Rocha, Portal Terra

S O PAULO - O candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, comparou o apoio de Lula à candidatura de sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT), ao trabalho de um técnico de futebol, garantindo que não há como liderar uma equipe à distância. "O poder tem um aspecto insubstituível(...). Os brasileiros não podem acreditar que Lula governará à distância. Não se terceiriza comando", criticou o tucano. A afirmação foi feita durante palestra na Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), nesta quinta-feira (26).

Sobre o apoio do presidente à petista, ele voltou a dizer não é possível fazer um governo "na garupa". "A minha questão é que candidato não pode ter duas caras. É necessário ter uma cara só", insistiu.

Durante a palestra, Serra afirmou que está na política "por paixão", e que por esse motivo deixou o governo de São Paulo para se dedicar ao Brasil. "Estou na política porque quero um País com oportunidades e bom para se viver", disse, explicando que mesmo quando morava no exterior, sempre teve o Brasil muito próximo.

O candidato também enfatizou que falta política de defesa comercial para o País e defendeu a ampliação de investimentos. "Não sou contra fusão de empresas, mas contra a dar dinheiro dos contribuintes para alimentar as fusões". Em seguida pediu votos para os empresários que o assistiam: "eu levo bronca porque tenho feito palestras sem pedir votos, mas hoje pedirei", disse.