Candidato do Psol diz que "a televisão brasileira é um lixo"

Portal Terra

S O PAULO - O candidato do Psol à presidência da República, Plínio de Arruda Sampaio, afirmou durante o segundo bloco do debate promovido pela Rede Canção Nova/Aparecida nesta segunda-feira que, "à exceção dessa, a televisão brasileira é um lixo". Plínio disse que está sendo discriminado pelos meios de comunicação e lembrou que candidatos da esquerda como Zé Maria - candidato do PSTU -, não são convidados aos debates.

Plínio disse ainda que na TV atualmente só há erotismo. "Sou a favor do controle. Se o Psol for ao governo vai botar pra funcionar a Constituição. Se chegarmos ao governo vai ter controle social sobre os meios de comunicação de massa", reiterou.

A candidata do PV, Marina Silva, manifestou-se contra o aborto. "A vida do ser humano para mim é de valor inegociável". Ela disse que a questão não é só religiosa, é também filosófica, social e política. "Precisamos debater o assunto e tem pouca informação sobre o assunto". Ela defende que se faça um plebiscito. "Está faltando o debate aberto, sem preconceito, sem satanização", disse a candidata do PV.

Perguntado sobre o trem-bala, o candidato do PSDB, José Serra, disse que se os recursos forem aplicados pelo setor privado, é a favor. "Não se sabe quais serão os custos ambientais. É um negócio meio inacreditável da forma que está sendo feita". O tucano voltou a dizer que prefere usar o dinheiro do trem-bala para construir metrôs nas cidades brasileiras.

Para o debate da Rede Canção Nova/Aparecida, todos os candidatos à presidência da República com representação na Câmara foram convidados. Dilma Rousseff (PT) alegou problemas de agenda e não compareceu. O debate aconteceu no auditório da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo.