PT é campeão de "quanto pior, melhor", acusa Serra em debate

Portal Terra

S O PAULO - O debate Folha-UOL pela internet entre três candidatos à Presidência da República começou mais quente do que debates anteriores pela televisão. A candidata do PT, Dilma Rousseff, jogou uma casca de banana ao adversário do PSDB, José Serra, e perguntou como ele justificava uma representação do DEM ao STF contra o ProUni, programa que distribui bolsas de estudos em escolas superiores privadas a estudantes de renda baixa.

O tucano retrucou, acusando o partido de Dilma: "vamos falar claro: nesse torneio do quanto pior melhor, o PT ganha disparado. Você tem fixação no passado. E é ingrata com Itamar e FHC, que criaram o Plano Real". O candidato do PSDB listou iniciativas que tiveram a oposição do PT, completando: "na verdade foi uma questão de inconstitucionalidade. Não tem a ver com o meu partido: se fosse assim, você estaria contra a Lei de responsabilidade fiscal. A Proer, que o PT não só votou contra como tentou acabar com ela. O que o PT já aprontou em matéria de quanto pior melhor... de fato, em matéria de quanto pior melhor, o PT é campeão".

Em resposta, a petista disse que seu partido "confessa que votou errado". "Mais do que isso, levamos o Plano Real à frente". E voltou a levantar a questão do ProUni: "É uma questão séria, não é algo que já passou. Está no Supremo. Isso me preocupa porque é algo que está vigente. Nas escolas técnicas, fomos proibidos de fazê-las. Se os estados e municípios entrassem com dinheiro, nós poderíamos fazê-las", concluiu a candidata.

Serra não poupou a adversária, arrancando risos da plateia, ao dizer que ela sequer se preocupava mesmo com a representação do DEM e que, na verdade, segundo ele, "um assessor seu te passou isso e você veio falar disso aqui". "Votaram contra Tancredo no colégio eleitoral. Votaram contra a Constituinte, votaram contra o Plano Real. Votaram contra o Proer. O PT é imbatível, ganha de goleada de qualquer outro partido político brasileiro no quesito quanto pior melhor", atacou Serra novamente.

No começo do primeiro bloco, o tucano jogou a bola para Marina, para depois poder apresentar sua proposta sobre ensino técnico e profissionalizante. Marina criticou a educação paulista e afirmou que "a educação é a prioridade das prioridades. Temos que fazer uma verdadeira revolução na educação. Estamos atrasados neste setor".

Na réplica, Serra disse que tem algumas propostas: criar o Protec do ensino técnico, aumentar em um milhão de vagas em quatro anos no ensino técnico, aumentar a variedade dos cursos oferecidos, no que se refere ao ensino tecnológico, tem mais alunos no Estado de São Paulo, do que na União. Na tréplica, Marina disse que "lamentavelmente, na questão da educação, a pergunta que me cala, é por que em 16 anos São Paulo não se tornou um expoente na educação? Por que agora, em quatro anos, fará o que não fez numa experiência de 20 anos de governo no Estado?"