No rádio, Mercadante alfineta governo tucano e cita Lula

Portal Terra

S O PAULO - No primeiro horário eleitoral gratuito no rádio voltado para os candidatos ao governo do Estado de São Paulo, nesta quarta-feira, o petista Aloizio Mercadante, que aparece em segundo lugar na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes de acordo com as últimas pesquisas, aproveitou o espaço para alfinetar o governo tucano. "Como você pode viver em uma cidade em que você perde duas horas e 43 minutos por dia no trânsito? perguntou o candidato.

Mercadante respondeu ao seu próprio questionamento dizendo que "aqueles que governam o Estado de São Paulo há 16 anos não foram capazes de olhar pra frente, de pensar o futuro e de se antecipar às dificuldades". "Falta agilidade, falta coragem, falta competência para fazer as coisas bem feitas", disse.

Em uma conversa direta com o ouvinte, o petista prometeu chegar aos 100 km de metrô caso seja eleito, além de acabar com o "abuso dos pedágios" e com a progressão automática nas escolas públicas. "O aluno passa sem aprender. (...) o professor tem que voltar a ter o prestígio que tinha no passado e que foi perdido na sociedade moderna", disse. Mercadante prometeu ainda retomar a construção de ferrovias no Estado.

O candidato citou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no fim de seu programa. "Essa oportunidade que foi dada ao Lula, eu peço que seja dada ao PT em São Paulo, a mim", pediu.

Nos sete minutos do tucano Geraldo Alckmin, foi simulado um programa de rádio popular, no qual três paulistas de diferentes regiões do Estado conversaram sobre as propostas do candidato. Entre os assuntos, está a conclusão do Rodoanel que, ao fim, terá 177 km de extensão. "Mas, para fazer uma obra dessas não pode ser um calça branca qualquer", disse Antenor, um dos participantes. Questionado pelo âncora, o eleitor explica que calça branca é o motorista de primeira viagem, "que na primeira troca de pneu, lá vai a calça branca...", explicou.

Entre os projetos de Geraldo, está a abertura de créditos para micro e pequenas empresas, o investimento para garantia de remédios para a população e a construção de hospitais e escolas. Ao falar sobre a ampliação dos Ambulatórios Médicos de Especialidades, Alckmin citou o candidato de seu partido à presidência. "Uma bela iniciativa do (José) Serra", disse.

O programa do tucano foi encerrado com o jingle "O trabalho é bom e vai seguindo, o Geraldo tá chegando, seja bem-vindo".

Celso Russomanno, candidato do PP, falou sobre a morte de sua mulher por falta de atendimento médico e prometeu mudar "tudo o que está errado". Já Paulo Skaf (PSB) se apresentou aos eleitores e falou sobre sua motivação para entrar na política. "Sempre fui muito crítico dos políticos. Até o dia que o presidente Lula me disse: Skaf, não adianta reclamar dos políticos, você tem que entrar na política e fazer diferente", contou o candidato.

Fabio Feldmann, do PV, contou com o apoio da candidata de seu partido à presidência da República em seu programa. "Sou Marina Silva. Vote em quem tem compromisso com saúde, educação e a proteção de nossas riquezas. Vote Fabio Feldmann", pediu a candidata verde.