MG: Lula e Aécio são citados à exaustão por candidatos ao governo

Juliana Prado, Portal Terra

BELO HORIZONTE - O candidato ao governo de Minas, Hélio Costa (PMDB), iniciou seu programa eleitoral gratuito do rádio nesta quarta-feira (18), explorando a imagem do presidente Lula, que foi citado sete vezes durante cinco minutos de programa. Tanto Costa como seu vice, Patrus Ananias (PT), foram "vendidos" como os ex-ministros de Lula - das Comunicações e do Desenvolvimento Social, respectivamente.

Nos afagos direcionados pelo cabeça de chapa para seu vice - estratégia que vem se tornando rotineira por parte de Hélio Costa - Patrus foi citado como o homem "que transformou o Bolsa Família no maior programa social do mundo". Já Patrus, ao falar no fictício programa da "Rádio Mais", disse que "Hélio foi um grande ministro do Lula e tem visão de futuro".

Na tentativa de aproximar o ouvinte do programa, foi simulada a locução de uma partida de futebol, onde os jogadores Lula, Hélio e Patrus, marcam gol em nome de Minas Gerais. A campanha ainda utilizou fala do presidente durante sua participação em comício em Belo Horizonte, na semana passada, em que pede votos para Hélio Costa.

Aécio no comando

Ao invés de Antonio Anastasia (PSDB), que é o candidato à reeleição ao governo de Minas pela coligação "Somos Minas Gerais", a primeira fala no rádio fez alusão ao ex-governador Aécio Neves. Num tom popular, o programa segue citando as realizações dos dois tucanos à frente do Executivo mineiro.

Afora os jingles em que seu nome era recorrente, Aécio foi citado nada menos que 13 vezes nas locuções ou pelo candidato tucano ao governo durante sete minutos de gravação. "Eu e Aécio percorremos cada palmo dessas Minas Gerais. Procuramos atender as pessoas em primeiro lugar", citou Anastasia em uma das muitas citações ao padrinho político.

Simulando o diálogo entre um casal com forte sotaque mineiro, o programa questiona: "votar em Anastasia é como votar na reeleição (de Aécio)". Ao contrário do programa do oponente do PMDB, o material produzido para o rádio na coligação "Somos Minas Gerais" não faz menção à disputa nacional. O presidenciável José Serra (PSDB) ficou de fora da primeira peça publicitária dos mineiros.

Tentando passar uma imagem de "homem simples", Anastasia usou à exaustão, o nome de Aécio, de quem foi, segundo ele, parceiro "desde o primeiro minuto do governo - em 2003".

Lula e Pimentel

Já na campanha ao Senado no rádio, o destaque foi para o presidente Lula e a candidata petista, Dilma Rousseff, que pediram votos para Fernando Pimentel (PT). No jingle, aliás, o petista foi, já na entrada, apresentado como o "senador do Lula, da Dilma e de Minas Gerais".

Na sua campanha de rádio, Aécio Neves pede a confiança do eleitor e agradece o incentivo recebido como governador de Minas. Mais uma vez, o contraste entre as duas coligações fica nítido. Nenhuma menção a tucanos de alta plumagem como o presidenciável José Serra ou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Também candidato ao Senado pela coligação capitaneada pelo PSDB, Itamar Franco (PPS) teve espaço garantido no rádio. Como no caso de Anastasia, no entanto, o programa do ex-presidente começou citando, em primeiro lugar, o nome de Aécio. "Para Minas ganhar, só com Aécio e Itamar", diz trecho do jingle do concorrente.