Marina ataca Serra por uso de favela cenográfica na televisão

Portal Terra

S O PAULO - No segundo round do debate pela internet Folha-UOL dos candidatos à Presidência, no Teatro TUCA, em São Paulo, a candidata Marina Silva (PV) atacou José Serra (PSDB) por causa do uso de uma favela cenográfica no programa eleitoral de televisão do tucano. Marina ressaltou que fez visitas a áreas de risco em Recife, Rio de Janeiro e São Paulo, e citou ainda uma ida à favela da Mata Virgem, na divisa da capital paulista com Diadema.

"Ontem, você no seu programa de governo teve uma favela virtual, enquanto nós temos uma favela tão real que eu visitei ontem", ironizou. A plateia gargalhou e aplaudiu a candidata verde. Serra não comentou o uso de cenário artificial para encenar um "churrasquinho de laje". Apenas reagiu: "Olha, Marina, que existem problemas em todos cantos, existem. Mas, vale a pena você fazer uma visita a Heliópolis e Paraisópolis, que juntas devem ter mais de 150 mil pessoas". Serra destacou medidas de urbanização que governos tucanos fizeram nesses bairros.

No início do bloco, o ex-governador paulista manteve a estratégia de atacar Dilma Rousseff (PT) e apontou a responsabilidade do governo federal no vazamento das provas do Enem e de dados sigilosos de estudantes brasileiros. "O Enem acabou sendo desmoralizado no Brasil com esse incrível vazamento (de provas)", afirmou Serra.

"Eu acho um verdadeiro absurdo um candidato à Presidência vir aqui dizer que o Enem está desmoralizado porque uma gráfica, objeto de investigação da Polícia Federal, vazou as provas", rebateu Dilma. Ela garantiu que a gráfica é "conceituada" e sempre há possibilidade de vazamentos. "Até o Departamento de Estado dos EUA teve vazamento, inclusive em relação à guerra do Afeganistão."

O tema serviu de mote para Serra criticar o vazamento de dados do Imposto de Renda do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge. "Voltando ao Enem, houve sim vazamento. E o responsável é o Ministério da Educação. Vocês quebraram o sigilo bancário do vice-presidente do PSDB. E passaram esse resultado do seu comitê para a Folha", acusou Serra.

Na resposta, Dilma defendeu o Enem e negou a elaboração de um dossiê em sua campanha: "O Enem é uma prova extremamente correta, legítima. Nós processamos em todos os casos aqueles que falaram que nós vazamos qualquer coisa".

"Começa um ensaio de quase pugilato. A gente deve ir aos fatos que interessam pro Brasil", protestou Marina, minutos depois.