Dilma: "uns dizem que sou forte, outros que preciso de tutor"

Portal Terra

DA REDAÇ O - Questionada se sua proximidade com o presidente Lula não faria dele um tutor à frente do governo, a candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, disse, em entrevista ao Jornal Nacional nesta segunda-feira (9), que seus críticos precisam definir se ela é "uma mulher forte" ou alguém que precisa ser tutelada. "O pessoal tem que escolher o que eu sou. Uns dizem que sou mulher forte, outros dizem que preciso de um tutor. Fui braço direto e esquerdo do presidente nesse processo de transformar o Brasil num País diferente, que cresce e distribui renda. Não vejo problema nenhum na minha relação com o presidente Lula porque ele é um grande líder e é reconhecido mundialmente", afirmou.

Sobre o apoio de ex-adversários políticos como ox-presidentes José Sarney e Fernando Collor e o ex-governador paraense Jader Barbalho, Dilma admitiu que o PT, quando era oposição, não tinha experiência política. "O PT percebeu que, para governar um País com a complexidade do Brasil,implica na necessidade de fazer alianças. O PT naquela época não tinha experiência de governo", acrescentou a pestista.

Questionada se tinha experiência política e se conseguiria governar o Brasil longe do presidente Lula, Dilma elencou seus cargos administrativos e afirmou estar preparada. "Eu considero que tenho experiência administrativa suficiente (...) fui coordenadora do governo ao assumir a chefia da Casa Civil, que, como todos sabem, é o segundo cargo mais importante na hierarquia federal. Me sinto preparada. Tenho experiência e conheço o Brasil de ponta a ponta", afirmou.