Candidatos ao governo de SP prometem melhorar transporte

Mariana Lanza e Vagner Magalhães, Portal Terra

S O PAULO - Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo Aloizio Mercadante (PT), Celso Russomanno (PP) e Geraldo Alckmin (PSDB) prometeram, no quinto bloco do debate promovido pela Folha de S. Paulo, nesta terça-feira (18), uma atenção especial ao transporte público.

Questionado por um morador de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, sobre seus projetos para a melhoria do trânsito na região até a capital paulista, Mercadante aproveitou para atacar o adversário tucano, Geraldo Alckmin. "O governo do PSDB nesses 16 anos não cumpriu o que prometeu, como qualidade do metrô e modernização da linha da CPTM. Em dois anos, dobramos a capacidade de transporte da CPTM. Trinta quilômetros de metrô nós vamos ter que fazer, principalmente por causa da Copa, precisamos priorizar o desenvolvimento do metrô. Vamos dar prioridade ao transporte coletivo de São Paulo", disse o petista. "Até agora o PSDB não conseguiu encaminhar nada do que prometeu. Estamos em agosto e não sabemos nem onde vai ser a copa", afirmou.

Alckmin retrucou as críticas do adversário dizendo que em seu governo foi construída a linha 5 do metrô e que uma obra, até a Chácara Klabin, está em construção. "Vamos integrar o trem que vem do ABC ao metrô", acrescentou.

O candidato do PP Celso Russomanno também prometeu transportes públicos de qualidade para os moradores do ABC Paulista se locomoverem à capital. "Vou verificar a quantidade de ônibus nos horários de pico. Quem anda de carro leva multa se não usa cinto de segurança, mas as pessoas saem carregadas, penduradas em cima de ônibus e ninguém faz nada", disse.

Questionado sobre o apoio do deputado federal Paulo Maluf à sua candidatura - relembrando quando o ex-prefeito pediu votos à Celso Pitta - Russomano lembrou que Maluf já apoiou chapas do PT e do PSDB. "Se ele tivesse voto, ninguém iria querer o apoio dele", disse Russomanno. Ele ainda fez questão de elogiar o ex-prefeito. "Ninguém pode negar que ele sempre foi um bom administrador, fez muito pra São Paulo, quando construiu Cumbica estava pensando 20 anos na frente e foi muito contestado. Quem vai governar o estado é o Russomanno, ou alguém tem dúvidas da minha competência?", disse.