Empresa francesa Total encerra oficialmente atividades no Irã

A gigante do petróleo francesa Total se desligou oficialmente dos projetos de investimento de bilhões de dólares no Irã, depois da retomada das sanções dos Estados Unidos contra este país, anunciou nesta segunda-feira o ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namdar Zanghaneh.

"A Total encerrou oficialmente o acordo para o desenvolvimento da fase 11 de (a jazida de gás) South Pars. Há mais de dois meses havia anunciado o fim do contrato", declarou Zanghaneh à agência Icana, vinculada ao ministério do Petróleo.

O governo dos Estados Unidos, após sua retirada unilateral do acordo nuclear assinado em 2015 entre Teerã e as grandes potências, restabeleceu em 6 de agosto uma primeira série de sanções contra Teerã e fez um alerta aos países que persistissem em seus negócios com o Irã.

Washington concedeu às empresas um período de 90 a 180 dias para que deixassem o Irã. Uma nova série de sanções contra o setor de combustíveis está prevista para novembro.

Os países europeus, que assinaram o acordo de 2015 - que tinha como objetivo impedir que o Irã produzisse armamento nuclear, em troca da retirada das sanções contra Teerã - se declararam inicialmente a favor da manutenção do texto.

Mas pelo temor das medidas americanas, muitas empresas europeias já anunciaram a saída do Irã.