Tecent tem a maior queda em bolsa

As ações da Tencent Holdings, gigante chinesa da internet, caíram 3,3% ontem na Nasdaq, índice de tecnologia da bolsa de Nova York, e 9,8% em julho, registrando o maior recuo mensal desde 2014. Em relação ao pico de janeiro, o papel perdeu 25%, eliminando cerca de US$ 143 bilhões de valor de mercado. Essa é a maior perda de riqueza de acionistas de todo o mundo medida a partir da data da alta de 52 semanas de cada ação. O Facebook é o segundo maior perdedor, com queda de US$ 136 bilhões nos últimos três pregões.

Agora, investidores começam a questionar se os melhores dias das ações de tecnologia não ficaram no passado. A gigante de tecnologia chinesa se beneficiou da sede de entretenimento online da China nos últimos anos, incluindo redes sociais, jogos, serviços de streaming e serviços em nuvem. A sua receita total e os lucros aumentaram 294% e 361%, respectivamente, desde 2013. A Tencent opera a maior rede social da China,  com 550 milhões de usuários ativos mensais em dispositivos móveis. Sua plataforma de mensagens instantâneas QQ tem 694 milhões de usuários ativos mensais em dispositivos móveis.

Segunda maior empresa da Ásia depois da gigante do comércio eletrônico Alibaba Group Holding, a Tecent, ao contrário do Facebook, gera a maior parte de sua receita de rede social de assinaturas de streaming de música e vídeo digital. A publicidade online representa apenas 17% da sua receita total. O crescimento ano a ano do lucro da Tencent provavelmente desacelerou para 5,1% no segundo trimestre, o ritmo mais fraco desde 2012, segundo estimativas de analistas ouvidos pela agência Bloomberg.