Com apoio de Petrobras, Ibovespa abre em alta e retoma 80 mil pontos

O Ibovespa abriu em alta firme e, logo após o leilão de abertura das blue chips, marcava mais de 80 mil pontos. Nesse início de pregão, as ações mais negociadas são as da Petrobras, que sobem mais de 1%.

A valorização da petroleira está em linha com o comportamento dos preços do petróleo na Nymex (NY) e na ICE (Londres). Em Nova York, o preço do barril do tipo WTI atingiu o patamar de US$ 70 pela primeira vez em duas semanas. A alta acontece em meio a relatos de início de uma greve de trabalhadores de 24 horas em três plataformas da petroleira francesa Total no Mar do Norte. O relato se soma às tensões no Oriente Médio, uma vez que a Arábia Saudita suspendeu as remessas por uma importante rota marítima do Mar Vermelho na semana passada, depois que dois navios-tanque foram atacados por rebeldes, em meio a preocupações com sanções que os EUA devem reimplementar ao Irã.

O petróleo ainda se favorece do enfraquecimento do dólar fraco ante moedas fortes e algumas emergentes, como o real. No mercado local, o dólar cai desde a abertura no segmento à vista. Já no futuro, o contrato para agosto oscila entre altas e baixas.

Às 10h24, o dólar à vista caía 0,23% aos R$ 3,7089. O dólar para agosto recuava 0,01% aos R$ 3,7095. O Ibovespa subia 0,64% aos 80.374,08 pontos. A PN da Petrobras avançava 1,16%. O petróleo WTI para setembro subia 2,13% aos US$ 70,15. Os índices acionários de NY exibiam alta, mas estavam perto do último fechamento, sendo que o Dow Jones futuro era o que mais subia (+0,15%).