Eletrobras privatiza uma de suas seis distribuidoras de energia

A Equatorial Energia comprou nesta quinta-feira (26) a primeira das seis endividadas distribuidoras de energia da estatal Eletrobras, que o governo brasileiro colocou à venda dentro de seu polêmico programa de privatizações.

A Equatorial Energia foi a única ofertante no leilão realizado na Bolsa de São Paulo para assumir o controle da Cepisa, a Companhia de Energia do estado do Piauí.

O leilão foi feito com base em um índice técnico, que incluía uma flexibilização tarifária, com um pagamento simbólico de 50.000 reais.

>> Eletrobras reitera leilão de distribuidoras em 30 de agosto

A empresa vencedora é um holding que já controla duas companhias de geração e distribuição de energia no Maranhão (nordeste) e Pará (norte).

Outras cinco distribuidoras - Amazonas Energia, Boa Vista Energia, Ceal, Ceron e Eletroacre - no norte e nordeste, consideradas financeiramente "inviáveis" por suas dívidas volumosas, serão leiloadas em 30 de agosto.

"Tomamos a decisão de acabar com o verdadeiro apartheid energético que se vive em nosso país", declarou pouco antes do leilão o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que garantiu "uma energia de qualidade igual para todos e de preços justos para todos".

O programa de desestatização inclui a própria Eletrobras, a maior geradora de energia da América Latina, que poderá obter 12 bilhões de reais para os cofres do Estado brasileiro.

Mas essa operação é delicada e gera polêmica faltando menos de três meses para as eleições presidenciais.

jm/js/cn