Dólar vira e cai com swap e desmonte no futuro de olho em Ptax

O dólar virou para o lado negativo, registrando mínima aos R$ 3,7272 (-0,16%) reagindo à venda na manhã desta terça-feira, 29, do lote de swap cambial extra do BC (15 mil contratos ou US$ 750 milhões), após ter subido nos primeiros negócios em meio à aversão ao risco no exterior e com a greve de caminhoneiros em seu nono dia seguido no radar.

Na máxima, mais cedo, o dólar à vista subiu aos R$ 3,7712 (+1,02%). Pressão de vendidos na Ptax nesta véspera de definição da última taxa de maio, na quarta-feira, ajuda na inversão de sinal, disse um operador de uma corretora. Segundo a fonte, há sinais de arrefecimento dos efeitos da paralisação de caminhoneiros.

"Tivemos um desmonte de posições compradas quanto o dólar passou dos R$ 3,76, por isso caiu tão rápido. Além disso, o leilão de US$ 750 mi ajuda na queda da moeda", diz Jefferson Rugik, diretor da Correparti.

Já a alta inicial foi atribuída ao dólar forte no exterior em meio à aversão ao risco com a crise política na Itália e Espanha, de acordo com o gerente de mesa de derivativos de uma gestora de recursos.

Às 9h56, o dólar à vista recuava 0,05%, aos R$ 3,7312. O dólar futuro de junho perdia 0,13%, aos R$ 3,7320.