Bolsas da Europa fecham em baixa, com política da Itália e da Espanha no radar

As bolsas europeias fecharam em território negativo nesta segunda-feira, 28, de olho nos sinais da política italiana e espanhola. A jornada foi, além disso, atípica, com volumes menores em negociação, diante do feriado com mercados fechados no Reino Unido e nos Estados Unidos.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,32%, em 389,82 pontos.

A política italiana esteve em foco. No início dos negócios, a Bolsa de Milão chegou a subir, diante da notícia de que Giuseppe Conte, premiê designado pelos partidos populistas Movimento 5 Estrelas (M5S) e Liga, não conseguiu formar um novo governo, por causa da indicação do economista eurocético Paolo Savona para o posto de ministro da Economia.

Com o passar do pregão, porém, o humor piorou. O presidente Sergio Mattarella convocou o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Carlo Cottarelli para formar um governo, contudo investidores em geral avaliaram que ele não deve ter sucesso, o que abriria caminho para uma eleição antecipada.

Além disso, há o risco de que os partidos populistas tenham ainda mais votos em uma nova disputa, têm mostrado as pesquisas, o que piorou o humor, levando a bolsa italiana ao território negativo. O líder do M5S, Luigi di Maio, convocou protesto para sábado, contra a decisão do presidente de barrar a formação de um governo.

Na Espanha, o Congresso decidirá nesta sexta-feira se remove ou mantém Mariano Rajoy no posto de primeiro-ministro. Ele foi alvo de uma moção de censura da oposição no fim da semana passada, após seu Partido Popular ser condenado a pagar uma multa em um caso de corrupção. O risco de que Rajoy caia e de que a Espanha também tenha eleições antecipadas igualmente preocupa investidores.

O dia, além disso, foi de volumes mais moderados nos mercados, com o feriado em Londres e em Wall Street.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou em baixa de 0,58%, em 12.863,46 pontos. Entre os papéis mais negociados, Steinhoff caiu 2,91%, Commerzbank recuou 2,32% e Deutsche Bank teve queda de 0,91%.

Em Paris, o CAC-40 caiu 0,61%, a 5.508,93 pontos. A petroleira Total caiu 0,59%, enquanto Société Générale teve baixa de 0,75%.

O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, fechou em queda de 2,08%, em 21.932,69 pontos. O setor bancário foi penalizado, com baixas em Banca Carige (-3,75%), Intesa Sanpaolo (-3,24%) e Banco BPM (-1,81%).

Na Bolsa de Madri, o IBEX-35 recuou 0,63%, a 9.764,40 pontos. Santander teve queda de 2,04% e BBVA, de 1,19%. Banco de Sabadell, por outro lado, subiu 0,50%

Em Lisboa, o PSI-20 caiu 1,74%, a 5.513,02 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)