Tesouro vai lançar fundo de investimento

O Brasil deu mais um passo para tirar do papel o Fundo de Índice Apoiado pelo Emissor (ID ETF, na sigla em inglês) ao publicar o edital para selecionar a instituição que será responsável pelo lançamento do primeiro ETF de renda fixa do país. ETFs são fundos privados cujas cotas são negociadas em Bolsa, como se fossem papéis de uma empresa. Os títulos são populares em países desenvolvidos e têm hoje um estoque de US$ 5 trilhões, segundo o Banco Mundial.

 O Brasil será pioneiro na implantação do fundo e poderá servir de modelo para outras economias emergentes. No país, o ID ETF será implantado em parceria com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e será referenciado no índice Anbima de títulos públicos indexados ao IPCA, cuja sigla é IMA-B. O Tesouro será responsável pela emissão dos títulos, com valor inicial de R$ 300 milhões. Caberá ao gestor a responsabilidade de estruturar o produto de acordo com os parâmetros e requisitos mínimos estabelecido no edital de seleção e ofertá-lo à sociedade brasileira por meio de ampla oferta pública.

 De acordo com o gerente global de Finanças de Longo Prazo do Banco Mundial, Anderson Caputo Silva, o projeto foi criado para desenvolver o mercado de capitais de países emergentes. Segundo o gerente, a indústria de ETFs está bastante presente nos países desenvolvidos e falta nos emergentes. “Observando isso, foi criado o esse projeto pelo Banco Mundial, para tornar mais viável economicamente nos países emergentes”.