Bolsas da Europa fecham sem sinal único, em dia de expectativa com Trump e Irã

As principais bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta terça-feira, 8, mas a maioria em queda, em jornada marcada pela cautela antes de um anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a permanência ou não de seu país no acordo nuclear com o Irã. Trump havia comentado no dia anterior que faria o anúncio às 15 horas (de Brasília), já depois da sessão europeia.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,08%, em 389,84 pontos, mesmo com a queda modesta em algumas importantes praças.

O petróleo teve jornada negativa e o dólar se fortaleceu, diante do compasso de espera com o anúncio da Casa Branca. O Irã é um importante produtor de petróleo e, caso Washington volte a impor sanções, isso dificultará a atuação do país nesse setor.

Os rumores sobre qual pode ser a posição do presidente norte-americano geraram volatilidade nos mercados, inclusive europeus. A União Europeia e a Rússia reafirmaram mais cedo sua defesa do acordo, dizendo que Teerã tem respeitado sua parte e alertando para os riscos de um recuo. Já os EUA e Israel têm criticado o Irã, dizendo que ele não é um parceiro confiável.

Além disso, foi monitorado um discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na Suíça. Jerome Powell reforçou que as comunicações do BC dos EUA serão feitas "de forma mais clara e transparente" possível para evitar tumulto nos mercados.

Na agenda de indicadores, na Alemanha a produção industrial cresceu 1,0% em março ante o mês anterior, acima da previsão de alta de 0,8% dos analistas. A balança comercial do mesmo país teve superávit de 22 bilhões de euros em março, também acima do previsto (+19,7 bilhões de euros).

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 recuou 0,02%, a 7.565,75 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,28%, a 12.912,21 pontos. E.ON subiu 0,15%, mas Deutsche Post teve queda de 7,03%, após balanço que não agradou.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, teve baixa de 0,17%, a 5.521,93 pontos.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB teve baixa de 1,64%, a 24.142,54 pontos. Nesse caso, pesou também a dificuldade de formação de um novo governo, diante do impasse após as últimas eleições. Banca Carige perdeu 2,33%.

Na contramão da maioria, na Bolsa de Madri o índice IBEX-35 subiu 0,27%, a 10.168,10 pontos. Entre os bancos, Sabadell subiu 1,61%, Bankinter avançou 0,71% e CaixaBank, 0,74%. BBVA, por outro lado, teve queda de 0,47%.

Em Lisboa, o PSI-20 avançou 0,21%, a 5.539,56 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)