Banco Central da Argentina eleva taxas a 40% para defender peso

O Banco Central da Argentina decidiu, nesta sexta-feira (4), elevar sua taxa de referência para 40%, com o objetivo de defender o peso, submetido a uma forte desvalorização - anunciou a instituição em um comunicado, apontando a perda de mais de 7% na véspera.

No último mês, a desvalorização do peso foi superior a 10%.

Este é terceiro aumento das taxas decidido pelo Banco Central, que, na quinta-feira (3), já as havia elevado a 33,25%.

Além disso, "o Banco Central continuará operando com todas as suas ferramentas de intervenção no mercado cambial. Essas operações poderão ser concertadas - tanto à vista quanto a prazo", indicou o comunicado.

O Banco Central também ratificou a meta de 15% para o índice de inflação em 2018, enquanto o Fundo Monetário Internacional (FMI) a estimou em 19%, e consultorias privadas, em 20%.