Bovespa acompanha pares e abre em firme queda, em meio à aversão global

A Bovespa exibe queda de quase 2,0% no período da manhã desta quarta-feira, 4, na esteira da aversão a risco que toma conta dos mercados acionários globais após Pequim ter anunciado a imposição de tarifas de 25% a produtos americanos, avaliados em US$ 50 bilhões. A lista abrange mais de cem itens, entre eles soja, aviões e carros.

A iniciativa de Pequim veio um dia depois de Washington revelar planos de taxar produtos chineses estimados no mesmo valor.

Internamente, a cautela dos mercados é motivada pelo julgamento de habeas corpus do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF), que será retomado no período da tarde.

O Ibovespa caía 1,78%, aos 83.117,05 pontos, às 10h31, enquanto o Dow Jones recuava 2,02%, o S&P 500 futuro exibia queda de 1,47%; e o Nasdaq futuro tinha desvalorização de 1,75%.

Entre as blue chips, as ações da Petrobras cediam 2,63% (ON) e 2,51% (PN), penalizadas pela desvalorização do petróleo, enquanto as ON da Vale recuavam 2,36%, refletindo a fraqueza do minério de ferro nos mercados asiáticos.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais