Cautela com a cena política faz juros encerrarem sessão regular em alta

Os juros futuros encerraram a sessão regular desta terça-feira, 3, com viés de alta nos vencimentos curtos e com avanço mais intenso nos contratos mais longos. Um clima de cautela com a cena política conduziu os negócios.

Entre agentes do mercado, surgiu um consenso de que reduzir risco nas carteiras é a melhor estratégia para a véspera do julgamento do pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no STF, programado para a quarta-feira.

"Convém aliviar o risco agora e aguardar o desenrolar do julgamento, que deverá ser longo e durar uns dois dias", disse o sócio da Laic-HFM Gestão de Recursos, Vítor Carvalho.

Vale lembrar que os juros futuros abriram com viés de baixa, sob a influência do fraco desempenho da indústria em fevereiro (alta de 0,2% ante janeiro), segundo mostrou pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O DI para janeiro de 2019 encerrou a sessão regular a 6,235% ante 6,224% no ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2020 fechou a 7,090% ante 7,072% no ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2021 fechou a 8,080% ante 8,032% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2023 encerrou a 9,080% ante 9,002% no ajuste anterior, enquanto o DI para janeiro de 2025 ficou em 9,570% ante 9,502%.

A cautela com a cena política também impacta fortemente o mercado cambial. No segmento à vista, o dólar valia mais de R$ 3,34 perto das 16h45. O fortalecimento da divisa dos EUA também pressiona para cima os juros futuros.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais