Juros caem com dólar e produção industrial apoiando mais um corte da Selic

Os juros futuros operam em baixa na manhã desta terça-feira (6) pressionados pelo dólar fraco ante o real e no exterior e a queda da produção industrial brasileira em janeiro ante dezembro maior que a esperada. A produção industrial caiu 2,4% em janeiro ante dezembro, mais do que a mediana das Projeções Broadcast (-2,0%) e dentro do intervalo das apostas dos investidores (-3,7% A +0,9%).

Operadores de renda fixa dizem que os fracos dados industriais tendem a reforçar a percepção de que pode haver mais afrouxamento monetário na reunião do Copom neste mês (dias 20 e 21). 

A expectativa de derrota do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no julgamento de habeas corpus nesta terça no Superior Tribunal de Justiça (STJ) também colabora para o ajuste de baixa dos juros e do dólar em meio à melhora do humor externo, afirmam

Está no radar, ainda, a pesquisa CNT/MDA, que será divulgada pela manhã e abrange as eleições de 2018 e avaliações de governo Temer (11h). 

Às 9h20 desta terça, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 estava a 6,465%, na máxima, após registrar mínima em 6,455%, ante 6,464% do ajuste de segunda-feira, 5. O DI para janeiro de 2020 estava a 7,38%, ante mínima em 7,36%, de 7,41% no ajuste da véspera. O DI para janeiro de 2021 caía a 8,27%, na máxima, após tocar em 8,24% na mínima, ante 8,30% no ajuste anterior. 

Já o contrato de DI para janeiro de 2023 recuava a 9,10%, ante mínima em 9,07%, de 9,13% no ajuste anterior. No mercado de câmbio, o dólar à vista recuava 0,71%, aos R$ 3,2250. O dólar futuro de abril caía 0,55%, aos R$ 3,2335.

Fonte: Estadão Conteúdo