Dólar sobe ante real e moedas ligadas a commodities com EUA e China no radar

O dólar opera com viés de alta ante o real na manhã desta segunda-feira (5) em linha com o desempenho positivo da moeda americana em relação a divisas ligadas a commodities no exterior A queda do petróleo e de metais básicos, como o cobre, favorece ainda o fortalecimento da divisa dos EUA.

Os agentes dos mercados de moedas operam sob cautela em meio a expectativas de que o presidente americano Donald Trump anuncie um decreto nesta semana sobretaxando as importações de aço (25%) e alumínio (10%) - além das ameaças de criar tarifa também sobre importação de veículos da Europa. 

Em relação à eventual sobretaxação norte-americana, o presidente do Banco Central disse que a medida seria prejudicial ao Brasil. "Será prejudicial ao Brasil e a todo o mundo, inclusive ao próprio Estados Unidos", disse Ilan mais cedo em entrevista à Rádio CBN de São Paulo.

Ilan, contudo, acredita que dependendo da reação dos países exportadores, é possível que a gestão Trump volte atrás. Segundo ele, os EUA voltaram atrás em decisões anteriores por conta de retaliações.

A estimativa de desaceleração do crescimento da China neste ano, para 6,5%, de 6,9% em 2017, também pesa nas expectativas dos agentes financeiros, disse um operador de uma corretora.

Às 9h30 desta segunda-feira, o dólar à vista subia 0,28%, aos R$ 3,2602. O dólar futuro de abril ganhava 0,21%, aos R$ 3,2685 neste mesmo horário.

Fonte: Estadão Conteúdo