JB no campo: Os pequenos e médios produtores estão representados? 

No Brasil, vastas campanhas misturam o papel do produtor rural, o real, com uma salada que muitos chamam com pompa de Agro. Como alguém que fala para ouvir o eco da própria voz, Agronegócio.

Ora, existe o que está antes das fazendas, que são as indústrias de produtos químicos, indústrias de produtos veterinários, de equipamentos em geral, de materiais elétricos, de caminhonetes, tratores etc. O setor industrial, que fornece ao produtor rural, é composto de empresas geralmente internacionais de excelente nível de planejamento, tecnologia, marketing. Misturar os milhões de produtores rurais, pequenos e médios, com este pedaço da cadeia produtiva, é covardia.

O setor antes da porteira tem uma capacidade de organização, gestão, capitalização, de lobby, que a totalidade dos produtores, aqueles que estão dentro das porteiras, não tem. 

Depois da porteira, é evidente que a supremacia dos agentes econômicos que operam não se compara com o vigor dos produtores pequenos e médios.

São frigoríficos, laticínios, processadores de soja ou milho, exportadores, tradings, bancos. Assim, espremidos entre fornecedores de insumos e processadores de produtos primários, estão os produtores em geral, mal organizados e sujeitos a fragilidades, como a variação hidrológica, representados por estruturas arcaicas e viciadas. Os pequenos e médios proprietários de estabelecimentos rurais têm toda a culpa pelas mazelas que os afligem e das quais reclamam desordenadamente, erraticamente.

Na mídia em geral parece “chique” falar de Agronegócio, do desafio da logística, dos bilhões de exportação; mas é melhor manter os empoeirados produtores à distância. Produtor chega sempre com questões enjoativas sobre mão de obra, multas do meio ambiente, chegam chateando, reclamando. Uns chatos!!

Gerentes de bancos oficiais antigamente conversavam com produtores. Hoje, eles são de imediato encaminhados para uma máquina.

Ninguém importante no sistema suporta um lamuriento proprietário de terras, ora tristes com equipamentos adquiridos no passado que estão sem uso e não têm valor de revenda; ou lembrando-se de herbicida ou produto veterinário que não funcionou; ou reclamando da política de preços. Produtores: mantenham distância!

Os produtores são mostrados, em alguns programas de televisão, de forma pitoresca ou pseudo heroica. Quem patrocina todas as publicações ou mídias audiovisuais e na internet são empresas que estão antes ou depois da porteira e, em geral, fazem caricaturas dos pequenos e médios produtores.

Resumindo: os milhões de produtores estão querendo se fazer representar? Então, precisamos mudar muito e passar para a população, como um todo, a nossa realidade, que não é aquela hoje imposta pelo marketing das indústrias e processadores, onde quem produz é apenas um figurante estereotipado.

Será que temos energia para reorganizar representação mais eficaz, nesse momento onde há tanta sombra e desânimo? Volto a esse assunto, essencial para o produtor rural.