Centrais sindicais do Brasil preparam atos contra taxação de aço imposta pelos Estados Unidos

As centrais sindicais brasileiras (CTB, CSB, CUT, Força Sindical, Nova Central) anunciaram, em nota pulicada nesta sexta-feira (3), uma agenda de luta contra o anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que assinará a adoção de tarifas à importação de aço e alumínio para proteger produtores norte-americanos.

"O anúncio da medida causa enorme preocupação e que, se a taxação for confirmada, as exportações brasileiras de aço e alumínio serão afetadas, diminuindo a produção e, consequentemente, dos empregos no Brasil. A intenção é preservar milhares de empregos que serão perdidos na cadeia produtiva do setor e a cota de exportação", diz a nota.

>> Trump diz que vai impor 'taxas recíprocas' a sócios comerciais

Confira a íntegra da nota:

Diante do anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que assinará a adoção de tarifas à importação de aço e alumínio para proteger os produtores americanos, as centrais sindicais, preocupadas com os empregos, preparam atos e manifestações em diversos locais.

O anúncio da medida causa enorme preocupação e que, se a taxação for confirmada, as exportações brasileiras de aço e alumínio serão afetadas, diminuindo a produção e, consequentemente, dos empregos no Brasil. A intenção é preservar milhares de empregos que serão perdidos na cadeia produtiva do setor e a cota de exportação.

É importante também o governo brasileiro buscar negociação com governo americano, acionar a OMC (Organização Mundial do Comércio|) visando diminuir os impactos da adoção da tarifa imposta pelos Estados Unidos.

São Paulo, 03 de março de 2018,

Adilson Araújo

Presidente da CTB

Paulo Pereira da Silva (Paulinho da Força)

Presidente da Força Sindical

Vagner Feitas

Presidente da CUT

Ricardo Patah

Presidente da UGT

José Calixto

Presidente da NCST

Antonio Neto

Presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)