Mercado estima déficit de R$ 153,9 bilhões nas contas do governo em 2018

Analistas das instituições financeiras consultados pelo Ministério da Fazenda reduziram a previsão do déficit primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) este ano de R$ 155 bilhões para R$ 153,944 bilhões. O valor está abaixo da meta para o rombo nas contas públicas previsto para 2018, que é de até R$ 159 bilhões. Assim, para os analistas, o governo vai conseguir cumprir a meta fiscal. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (11) pelo Ministério da Fazenda, no levantamento mensal do chamado "Prisma Fiscal". Confira aqui o relatório.

O déficit acontece quando os gastos do governo superam a arrecadação com impostos e tributos. Para 2019, o mercado financeiro baixou de R$ 125,51 bilhões para R$ 120,96 bilhões a previsão para rombo das contas públicas. A nova estimativa segue abaixo da meta fiscal do governo para o ano que vem, que é de déficit primário de até R$ 139 bilhões.

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do governo geral que, na avaliação das instituições financeiras, deve ficar em 76% do Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país), ante a previsão anterior de 77,21% para este ano.