Promoções fazem venda no varejo crescer 0,7% em relação a outubro

Em novembro de 2017, o comércio varejista nacional registrou aumento de 0,7% no volume de vendas frente ao mês anterior, na série com ajuste sazonal, compensando a queda de 0,7% registrado em outubro último. Com isso, o indicador de média móvel trimestral ficou praticamente estável (0,1%). Os dados relativos à Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) foram divulgadas nesta terça-feira (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e apontam que a alta foi impulsionada por promoções como a Black Friday,

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o comércio varejista apontou crescimento de 5,9% em novembro de 2017, oitava taxa positiva seguida e a segunda maior registrada de 2017.

O volume de vendas no acumulado de janeiro-novembro foi de 1,9% e o acumulado nos últimos 12 meses, subiu 1,1% em novembro de 2017, mantém trajetória ascendente iniciada em outubro de 2016 (-6,8%).

No comércio varejista ampliado – que inclui, além do varejo, as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção – o volume de vendas avançou 2,5% em relação a outubro de 2017, variação superior ao recuo registrado no mês anterior (-1,7%). Com isso, a média móvel trimestral voltou a mostrar variação positiva: 0,6% no trimestre encerrado em novembro.

Frente a novembro de 2016, o volume de vendas no varejo ampliado subiu 8,7%, sétima taxa positiva consecutiva, acumulando 3,7% no ano e 2,6% nos últimos 12 meses. Acesse a publicação completa aqui.

Cinco das oito atividades pesquisadas têm variação positiva de outubro para novembro

O acréscimo de 0,7% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de outubro para novembro de 2017, na série com ajuste sazonal, mostrou predomínio de resultados positivos, que alcançaram cinco das oito atividades pesquisadas. Dentre essas, os maiores avanços foram observados nos setores de Outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,0%); e Móveis e eletrodomésticos (6,1%), setores de marcada presença nas vendas pela internet. Com variação positiva nas vendas, encontram-se ainda Livros, jornais e papelaria (1,4%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%); e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que com o acréscimo de 0,8% marcou o oitavo avanço consecutivo nessa comparação, período que acumulou ganho de 6,5%. Por outro lado, sinalizando recuo nas vendas frente a outubro de 2017, figuram Combustíveis e lubrificantes, com redução de 1,8% e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,8%), ambos compensando avanços de, respectivamente, 1,6% e 2,7% registrados no mês anterior. O setor de Tecidos, vestuários e calçados (0,0%) manteve as vendas estáveis na passagem de outubro para novembro de 2017.

Considerando o comércio varejista ampliado, o volume das vendas em novembro mostrou avanço de 2,5% em relação a outubro de 2017, na série com ajuste sazonal, com as vendas de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção registrando aumento, em relação ao mês anterior, respectivamente de 1,5% e 2,3%.