Bovespa fecha estável, com ações da JBS subindo 22%

O principal índice da Bovespa fechou praticamente estável nesta quinta-feira (25), após oscilação durante o dia, com investidores cautelosos diante das incertezas desde as denúncias contra o presidente Michel Temer.

O Ibovespa fechou com queda de 0,05%, a 63.226 pontos.

As ações da JBS lideraram a ponta positiva do Ibovespa, subindo 22,843%, em meio a receios sobre a governança corporativa desde as delações de seus executivos e expectativas sobre vendas de ativos do grupo controlador.

O jornal O Estado de S. Paulo publicou nesta quinta-feira que o grupo J&F Investimentos cogita vender sua participação nas empresas Alpargatas, Eldorado e Vigor. Em nota, a J&F "nega que está vendendo ativos".

Na véspera, o Ministério Público Federal (MPF) recusou R$ 4 bilhões, oferecidos pelo grupo J&F para firmar um acordo de leniência com o órgão.

Às 11:41, o Ibovespa subia 0,44%, a 63.536 pontos. Na véspera, o Ibovespa fechou em alta de 0,95%, a 63.257 pontos. A JBS, pivô da crise do governo, lidera a sessão com alta de 4,48%, com a ação valendo R$ 7,00, às 11h26.

Dólar

O dólar fechou em leve alta nesta quinta-feira (25), com os investidores atentos ao cenário político e de olho no andamento das reformas econômicas no Congresso.

A moeda norte americana avançou, vendida a R$ 3,283.

O Banco Central vendeu nesta quinta-feira mais um lote de 8 mil contratos de swap cambial tradicional - equivalente à venda futura de dólares -, completando US$ 3,2 bilhões da rolagem do vencimento de junho, que totaliza US$ 4,435 bilhões.

Às 12h03, o dólar subia 0,17%, a R$ 3,2831.