'El País': América Latina sai da recessão este ano, mas com dificuldade, diz FMI

Fundo projeta expansão ainda anêmica da região em 2017, de 1,1%

Matéria publicada nesta quarta-feira (19) pelo jornal espanhol El País diz que o Fundo Monetário Internacional assegura que a América Latina superou a recessão. 

Segundo a reportagem o FMI prevê que a recuperação será mais fraca do que o esperado. A nova projeção é uma expansão de 1,1% este ano, ainda anêmica. É 0,1 ponto percentual inferior à estimativa divulgada há três meses e meio ponto abaixo do previsto no relatório de outono. O crescimento estimado para a região em 2018 é de 2%, também abaixo das expectativas.

O diário afirma que o corte vai na direção oposta à projeção para a economia global, que deve mostrar expansão de 3,5%, 0,1 ponto percentual acima da estimativa anterior. O FMI também está menos otimista em relação ao desempenho de países emergentes, cuja projeção de crescimento foi reduzida para 4,5% este ano, precisamente por causa da deterioração das perspectivas para as principais economias, especialmente na América Latina, com destaque para o México.

El País aponta que a taxa de crescimento da economia mexicana, uma das mais importantes, vai se desacelerar de 2,3% em 2016 para 1,7% este ano, para então subir a 2% em 2018. O ajuste, segundo especialistas, se deve à piora das perspectivas de investimento e de consumo diante de condições financeiras mais restritivas. O relatório também cita a incerteza nas relações comerciais com os Estados Unidos.

De acordo com o noticiário a esperança do FMI é que as reformas estruturais empreendidas pelo Governo de Peña Nieto ajudem a estimular o crescimento da atividade econômica no médio prazo, adicionando meio ponto percentual ao PIB. Mas isso será insuficiente para compensar a queda de 1,2 ponto percentual no ritmo de crescimento econômico em dois anos.

El País informa que os novos números para a economia brasileira são os seguintes: houve retração de 3,6% no ano passado, 0,1 ponto percentual a mais do que o esperado. O FMI prevê uma expansão de 0,2% para o PIB brasileiro este ano, muito tímida, mas suficiente para tirar o país da recessão. Neste caso, a estimativa permanece inalterada. No entanto, revisa para cima, em 0,2 ponto percentual, o crescimento previsto em 2018, para 1,7%.

> > El País