Petróleo avança enquanto mercado analisa produção da Opep e dos EUA

Os barris de petróleo negociados em Londres e Nova York registram queda na manhã desta quinta-feira (16), com o mercado ainda em calculando os impactos do corte efetivo na produção da Opep, enquanto os Estados Unidos registram altas recordes nas reservas de petróleo bruto. 

O relatório semanal oficial sobre os estoques de crude dos Estados Unidos, divulgado na tarde desta quarta-feira (15) pelo Departamento de Energia norte-americano, apontou para uma alta de 9,5 milhões de barris, contra a expectativa de alta de 3,5 milhões de barris. 

Às 9h31, o barril de Brent para abril negociado na International Exchange Futures (ICE), em Londres, tinha alta de 0,68%, a US$ 56,13. Já o barril de WTI para entrega em março, negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova York, avançava 0,58%, a US$ 53,42.

O dia 1° de janeiro marcou o início oficial do acordo firmado entre Opep e países de fora do grupo como a Rússia, em novembro, para reduzir a produção em cerca de 1,8 milhão de barris de petróleo por dia. Se encaminhado como o prometido, pode reduzir a oferta global em 2%. O desempenho norte-americano, contudo, tem deixado o mercado sob alerta. 

Os barris de petróleo, que custavam em torno dos US$ 100 até o final de 2014, chegaram abaixo de US$ 30 no ano passado, devido ao excesso de oferta global.