FMI mantém projeção de queda de 3,3% no PIB do Brasil

A economia nacional só deve voltar a crescer em 2017

O Fundo Monetário Internacional (FMI) manteve em 3,3% a projeção de retração da economia do Brasil em 2016, após a queda de 3,8% em 2015.

Segundo relatório divulgado nesta terça-feira (4), o sinal só deve se inverter em 2017, com um crescimento de 0,5%, número que também repete a estimativa anterior, publicada em julho passado.

"A economia do Brasil permanece em recessão, mas a atividade parece estar perto da virada, à medida em que os efeitos dos choques passados se dissipam", afirmou o FMI, citando a redução dos preços das commodities e a crise política.

Já para a Itália, o FMI reduziu as projeções de crescimento para 0,8% em 2015 e 0,9% em 2016, dados que estão em sintonia com as previsões do governo. No entanto, os números são 0,1 ponto percentual menores do que as últimas estimativas.

Além disso, o FMI disse que a já elevada dívida pública italiana deve subir para 133,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 e 133,4% em 2017 - as regras de estabilidade da União Europeia estabelecem um limite de 60% para seus países-membros.

Por outro lado, o desemprego cairá para 11,5% neste ano e 11,2% no próximo. Em 2015, o índice de desocupação no país fechou em 11,9%.