'Bloomberg': Cazaquistão supera Soros e abandona libra na véspera do Brexit

O Cazaquistão está reivindicando o título de especulador mais visionário em relação à libra

Matéria publicada nesta segunda-feira (11) pela Bloomberg, conta que o banco central da antiga república soviética apostou contra a moeda antes da surpreendente decisão do Reino Unido, em referendo realizado no mês passado, de deixar a União Europeia, disse o presidente da autoridade monetária, Daniyar Akishev, em entrevista, nesta sexta-feira. Soros, famoso por ter quebrado o Banco da Inglaterra em 1992 e recolhido um lucro de US$ 1 bilhão na ocasião, não repetiu a aposta no histórico referendo do Brexit, segundo um porta-voz.

Segundo a reportagem, Akishev, que administra quase US$ 100 bilhões em ativos em moeda estrangeira, disse que o banco abriu uma posição comprada a 1,4350 libra por dólar antes do referendo “com base na expectativa de volatilidade do mercado”. A libra caiu mais de 8 por cento em 24 de junho, chegando a US$ 1,3229, nível mais baixo desde 1985, depois que os britânicos decidiram pela saída da UE. A moeda teve novo declínio nesta semana, superando o nível atingido no rescaldo do referendo.

A Bloomberg afirma que o banco central “abandonou completamente” a posição a 1,4920 um dia antes do anúncio do resultado do referendo, disse ele em Almaty, a capital comercial do Cazaquistão. O presidente da autoridade monetária não informou quanto o banco mantém em libras, apenas que 10 por cento dos títulos de renda fixa das reservas do país são denominados na moeda.