Petróleo registra ganhos, limitados por temores com oferta e Brexit

Os barris de petróleo saem do terreno negativo nesta nesta sexta-feira (8), mas os ganhos devem permanecer limitados pelos temores em relação à oferta da matéria-prima nos Estados Unidos e aos efeitos do Brexit. O dólar enfraquecido ajuda a amenizar as perdas.

Às 9h01, o barril de Brent tinha alta de 1,03%, a US$ 46,88, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. Já o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, registrava avanço de 1,04%, a US$ 45,61.

Às 12h42, o barril de Brent tinha alta de 0,69%, a US$ 46,70, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. Já o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, registrava avanço de 0,44%, a US$ 45,35.

Às 14h23, a produção do Mar do Norte valorizava 0,95%, a US$ 46,84. No mesmo horário, o produto do Texas tinha subida de 0,84%, a US$ 45,52.

Às 15h57, o barril de Brent estava cotado a US$ 46,58, com alta de 0,39%. Enquanto isso, a produção do Texas registrava ganhos de 0,20%, a US$ 45,23.

Na quinta-feira (7), o WTI para agosto, negociado na Nymex registrou perda de 4,82%, a US$ 45,14 por barril, e o Brent para setembro, negociado na ICE, em Londres, recuou 4,92%, a US$ 46,40 por barril.

A Administração de Informação de Energia (AIE) dos EUA divulgou seu relatório semanal sobre estoques de petróleo nesta quinta-feira (7), um dia depois do usual, devido ao feriado do Dia da Independência de segunda-feira (4). O relatório apontou para uma queda nas reservas um pouco abaixo do esperado.

No mesmo dia, a Guarda de Instalações de Petróleo da Líbia anunciou que se prepara para reabrir campos de petróleo que estavam fechados desde 2014. O país tem produzido 350 mil barris de petróleo por dia, um quarto da produção antes da queda de Muammar Gaddafi.