Bolsa tem queda e dólar sobe após declarações de equipe do governo Temer

O principal índice da bolsa brasileira registra perdas nesta sexta-feira (13), que amanheceu com a equipe do presidente interino Michel Temer (PMDB) no comando do país. O novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, prometeu de manhã que vai cortar "despesas e privilégios daqueles que não precisam", se referindo a desonerações tributárias a empresas. Investidores respondem ainda a novas preocupações em relação à economia chinesa.

Às 11h38, o Ibovespa recuava 1,91%, aos 52.225 pontos. 

Às 12h49, o índice perdia 1,79%, aos 52.286 pontos. 

Às 14h06, a desvalorização se aprofundava a 2,55%, aos 51.882 pontos.

Às 16h12, a baixa era de 2,83%, aos 51.733 pontos.

>> Meirelles: prioridade é conter aumento de despesas públicas

O principal índice da China, o Shanghai Composite (SSEC), fechou no menor patamar em duas semanas nesta sexta-feira -- com baixa de 0,30%, aos 2.827,11 pontos. O mercado está mais preocupado com o desempenho da atividade econômica chinesa. 

A moeda norte-americana, por sua vez, registra alta em relação ao real e também frente a moedas estrangeiras, com a queda nos preços do petróleo e a expectativa de um aumento de juros por parte do Federal Reserve (Fed). Dados divulgados nesta sexta indicaram alta nas vendas do varejo nos Estados Unidos em abril, no maior avanço em um ano.

dólar tinha um avanço de 0,94% às 11h38, a R$ 3,5158. Às 12h50, a moeda norte-americana registrava alta de 0,75%, a R$ 3,5091.

Às 14h24, o dólar avançava 0,65%, a R$ 3,5057.

Às 16h40, a valorização era de 1,21%, a R$ 3,5250.

O Banco Central brasileiro esteve ausente na sessão cambial.

No dia anterior, o Ibovespa avançou 0,9%, aos 53.241 pontos; e o dólar valorizou 0,78% frente o real, a R$ 3,4727.