'FT': Faltam 43 dias para o referendo sobre a saída da Grã-Bretanha da UE

Britânicos decidem se ficam na União Europeia no dia 23 de junho

O jornal Financial Times publicou nesta terça-feira 910), um guia para se entender o que é o Brexit e suas consequências. O Brexit, risco de saída do Reino Unido da União Europeia é uma fusão de duas palavras inglesas. Neste caso, “Britain”, diminutivo para Grã-Bretanha, e “Exit”, que significa saída.

Segundo a reportagem, a hipótese parece estar mesmo em cima da mesa. O Reino Unido aderiu à Comunidade Europeia em 1973, mas, suportado na força da libra, sempre se recusou a adotar a moeda única europeia, o euro, nem aceitou integrar o Acordo de Schengen. O reino de sua majestade Rainha Isabel II continua a ser uma força de bloqueio à transferência de parte da soberania para Bruxelas e desde que David Cameron chegou a primeiro-ministro, em 2010, tem crescido o lóbi para recuperar para Westminster algum do seu poder perdido para os “28.”

O Financial Times comenta que a data escolhida pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, para a realização do referendo popular sobre a permanência do Reino Unido como Estado-membro da União Europeia (UE) foi aquela que todos esperavam: 23 de Junho. 

Membro da Comunidade Económica Europeia (CEE) desde 1973, o Reino Unido levou a cabo um referendo sobre o assunto dois anos depois da adesão, no qual cerca de 67% da população deu o seu aval à integração. Mais de 40 anos depois, e com o país fora do projeto da moeda única e do espaço Schengen de livre circulação de pessoas e bens, os britânicos estão hoje mais divididos, não se pode prever qual será o resultado do referendo que Cameron convocou para 23 de junho sobre a permanência na UE.

para ler na íntegra, clique aqui:

>>> Financial Times