Ações da Vale fazem Bovespa despencar

Pregão desta segunda-feira encerrou com desvalorização de 1,24%

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o pregão desta segunda-feira (9) com desvalorização de 1,24%, a 51.076 pontos. O resultado negativo foi influenciado 

O resultado negativo foi influenciado pela desvalorização do petróleo e das ações da Vale, pela queda do minério de ferro, com a commodity negociada a US$ 54,99 (-5,66%) em Qingdao, na China, e pelo rebaixamento das ações pelo Sociéte Générale de compra para manutenção.

Em entrevista ao jornal do Partido Comunista nesta segunda-feira (9), uma fonte disse que a China pode sofrer uma crise financeira e uma recessão econômica se o governo se apoiar demais estímulos nos alimentados pela dívida. Ela também afirmou que o crescimento excessivo do crédito pode aumentar os riscos e levar a uma crise financeira se não for controlada.

As ações da Vale despencaram 9,77% aos R$ 15,23, tendo a segunda maior baixa do dia. As ações da Petrobras também caíram consideravelmente, desvalorizando 6,65% aos R$ 12,07. A maior baixa foi da SID Nacional que caiu 9,78% aos R$ 10,05. Já a maior alta foi da Qualicorp que subiu 4,76% aos R$ 14,30.

Dólar chegou a R$3,60 mas desvalorizou

O dólar encerrou as negociações desta segunda-feira (9) com uma pequena valorização perante o real. No começo da tarde a moeda norte-americana chegou a R$ 30 por causa da anulação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas com o decorrer da tarde os investidores ficaram confusos e a moeda fechou a R$ 3,51, com valorização de 0,12% comparando com o último pregão.

Ações chinesas recuam mas bolsas asiáticas vão em direções diferentes

Nessa segunda-feira (9), as ações chinesas recuaram novamente, atingindo o mais baixo de oito meses.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias de Xangai e Shenzhen, caiu 2,07%, enquanto o índice de Xangai recuou 2,76%.

Os dados do comercio chinês de abril foram divulgados esse domingo e abaixaram as expectativas dos investidores, que esperavam uma recuperação econômica sustentada, com queda maior que esperada da importações e exportações

No resto do continente, os mercados  forma em direções diversas, mas também foram levados pelos dados do comércio da China e pelo relatório de emprego dos Estados Unidos, levantando duvidas sobre as maiories economias do mundo.

Em Tóquio, o índice Nikkei cresceu 0,68%, a 16.216 pontos., em Hongkong, o índice HANG SENG avançou 0,23%, a 20.156 pontos. Já em  XANGAI, o índice SSEC caiu 2,76%, a 2.832 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, perdeu  2,07%, a 3.065 pontos. Em Seul, o índice KOSPI teve baixa de 0,45%, a 1.967 pontos., em Taiwan, o índice TAIEX desvalorizou  0,18%, a 8.131 pontos. Enquanto o  Cingapura, o índice STRAITS TIMES valorizou 1,29%, a 2.766 pontos. Em Sydney o índice S&P/ASX 200 avançou 0,54%, a 5.320 pontos.