Petróleo registra queda nesta quarta, mas permanece acima dos US$ 40

Produção de crude teve aumento em março, com desempenho do Irã

Os preços de barris do petróleo negociados em Londres e em Nova Iorque registram queda após os fortes ganhos da véspera, em meio a dados de produção de crude divulgados pela Opep, que apontaram para uma alta na produção. O barril de Brent e o Barril de WTI operam em uma baixa em torno de 1% na manhã desta quarta-feira (13).

Relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgado nesta quarta-feira indicou aumento na produção de crude em março, em relação ao mês anterior, e apontou o retorno do Irã ao mercado como principal fator. 

A oferta dos países do grupo, porém, segue abaixo dos níveis de janeiro. Fora da Opep, os países devem registrar queda na oferta e na demanda.

Por outro lado, o mercado responde à reunião que acontece no próximo domingo (17) em Doha, entre Arábia Saudita e a Rússia, para discutir um possível congelamento da produção para evitar que o preço do petróleo continue a cair. 

Pressionando positivamente também consta a projeção da Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos, de que a produção de petróleo de xisto no país está em queda, e deve chegar ao nível mais baixo desde julho de 2014 no mês que vem.

Às 8h43, o barril de Brent registrava queda de 1,07%, a US$ 44,21, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. No mesmo horário, o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, tinha baixa de 1,33%, a US$ 41,61.

Às 9h51, o petróleo do Mar do Norte recuava baixa de 1,14%, aos US$ 44,18; e o crude do Texas tinha queda de 1,45%, a US$ 41,56.

Às 12h30, a produção de Brent sofria desvalorização de 0,96%, a US$ 44,26. No horário, o produto de WTI tinha recuo de 0,69%, a US$ 41,88.

Na véspera, o barril de Brent para entrega em junho fechou em forte alta de 4,26% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 44,69, valor mais alto neste ano. Já o WTI avançou 4,48%, aos US$ 42,17.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais