Petróleo registra alta com mercado na expectativa por reunião entre produtores

Os barris de petróleo negociados em Londres e em NovaIor que registravam baixas nesta segunda-feira (11), com o Iraque no centro dos noticiários do setor, mas passou reverteram o movimento. A reunião entre produtores da matéria-prima vai ocorrer no próximo domingo (17), em Doha, no Qatar, para tratar sobre um possível congelamento na produção. O Iraque, que registrou aumento em sua produção, manifestou apoio ao acordo entre Arábia Saudita, Rússia, Venezuela e Qatar.

Enquanto isso, de acordo com a  empresa pública Oil Marketing Company (Somo), citada pela Bloomberg, o Iraque, segundo maior produtor da commodity, aumentou a sua produção e também as exportações, após as décadas de sanções econômicas e de guerra.  

O Iraque, contudo, também sofre com os baixos preços da matéria-prima, motivados pela queda vertiginosa desde o início de 2015. Enquanto o barril de Brent operava em torno dos US$ 100 em 2014, neste ano chegou a ficar abaixo dos US$ 40. 

Na sexta-feira (8), o ministro do petróleo da Venezuela, Eulogio del Pino, reforçou a necessidade de congelar a produção. No mesmo dia, Equador, Bolívia, Venezuela, Colômbia e México tiveram uma reunião em Quito, que destacou também a urgência de ações. Venezuela e Rússia são alguns dos grandes produtores de petróleo que mais têm sofrido com a queda dos preços. 

Às 8h43, o barril de Brent registrava baixa de 0,33%, a US$ 41,80, na International Exchange Futures (ICE), em Londres. No mesmo horário, o barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova Iorque, tinha queda de 0,60%, a US$ 39,48.

Às 10h21, o petróleo do Mar do Norte avançava 1,10%, negociado a US$ 42,40 no mercado de Londres. O crude do Texas também registrava alta, em uma taxa de 0,98%, a US$ 40,11.

Às 12h40, a produção de Brent registrava alta de 2%, a US$ 42,78. No mesmo horário, a commodity do Texas subia 1,41%, a US$ 40,28.

Às 15h02, o petróleo do Mar do Norte teve valorização de 1,96%, a US$ 42,76. A produção de WTI avançava 1,46%, a US$ 40,30.

Na sexta-feira, o barril de Brent para entrega em maio fechou em forte alta de 5,88% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 41,74. Já o WTI disparou 6,6%, aos US$ 39,72, encerrando a semana com um aumento acumulado de 7,96%.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais