'Financial Times': Argentina estabelece bases para retorno aos mercados de dívidas após 15 anos

Matéria publicada neste sábado (9) no Financial Times, analisa que a Argentina está preparando o terreno para a sua tão esperada venda de títulos avaliados em bilhões de dólares, enquanto se prepara para o retorno aos mercados globais, após 15 anos. 

Segundo a reportagem, o país planeja oferecer 12,5 bilhões de dólares em bônus na próxima semana nos Estados Unidos e no Reino Unido, naquela que deve ser a primeira oferta global desde que o país decretou um calote da dívida, em 2001.

O jornal informa que autoridades argentinas, lideradas pelo secretário das Finanças, Luis Caputo, se reunirão com investidores em Nova York, Los Angeles e Washington durante esta semana. A mensagem foi enviada a potenciais investidores pelo Deutsche Bank, um dos quatro principais responsáveis pela operação da oferta de bônus. Os demais são HSBC, J.P. Morgan Chase & Co. e Santander. O governo planeja usar o dinheiro resultante para pagar os detentores de dívida da argentina que está em default.

Financial Times destaca que o país deixou de pagar mais de 80 bilhões de dólares em 2001, o maior calote soberano que já havia sido registrado até aquela data. O governo do presidente Mauricio Macri busca agora fechar acordos com vários grupos de detentores de bônus. Em fevereiro, a administração chegou a um acordo com um grupo de hedge funds (fundos especializados em aplicações de maior risco) liderado pela Elliott Management, o que abriu caminho para o retorno do país aos mercados internacionais de dívida.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais